amscompany

PESSOAS SÃO O MAIS IMPORTANTE

5 ERROS MAIS COMUNS NA ALIMENTAÇÃO DE QUEM TREINA

Para tratar sobre o tema, é preciso ter em mente que cada pessoa treina com um objetivo diferente. Tem gente que treina para perder peso, ou seja, quer subir na balança e pesar menos, não importando o que perdeu. Estas pessoas, a princípio, não estão preocupadas com a estética, e sim com a balança, porque geralmente têm um peso muito elevado. Só depois de perder de 10kg, 20kg ou 30kg é que irão focar na forma.

Há pessoas que treinam e querem ganhar peso, independentemente da composição corporal, se ganhou massa magra ou gordura. Também tem gente que treina para emagrecer, ou seja, perder gordura, mas preservando sua massa muscular, e há aqueles que querem hipertrofiar, ganhar e definir músculos. Dito isso, vamos aos erros:

Não comer
Nosso corpo é um poupador de energia. Isto é uma herança dos nossos ancestrais que, antes de começaram a se descolar, passavam por momentos de ausência de alimentos. Logo, quando encontravam algo para comer, comiam muito para reservar energia e ficavam dias em repouso, semelhante aos ursos que hibernam.

Devido a essa herança genética, quando deixamos de comer, o nosso organismo começa a poupar as reservas de gordura armazenada. Nosso corpo precisa de gordura para manter sua temperatura, proteger de impactos e manter todo processo bioquímico. Logo, quem quer emagrecer ou perder peso não pode deixar de comer, pois o organismo vai reter suas reservas.

Nos casos de quem quer ganhar e definir músculos, é preciso garantir energia para os treinos. Ao treinar, você obriga seu corpo a gastar energia, mas se há pouca ou nenhuma energia para gastar, a intensidade, o volume, o peso e a velocidade do treino caem. Seu desempenho sofre uma queda e aumenta o risco de você sofrer uma lesão séria. Os resultados não aparecem, o exercício passa a ser algo desagradável e você fica desestimulado.

Sem contar que, a medida que você diminui a ingestão de alimentos, seu corpo gasta menos energia, sua pressão arterial cai, você fica sonolento e com dificuldade de raciocínio, até o ponto da máquina parar. Ficar sem comer em nenhuma das situações funciona.

Comer demais
Para quem quer perder peso ou para quem quer emagrecer, comer demais obviamente está errado. Quem quer ganhar peso, mas não pratica exercícios, aumenta suas reservas de gordura. Primeiro há o acúmulo de gordura subcutânea, depois a gordura acumula no fígado, no coração e em outros órgãos vitais. Isso prejudica sua saúde.

Nos casos em que o objetivo é aumentar a massa muscular, é necessário que haja o balanço nitrogenado positivo, um processo de supercompensação em que ingerimos mais proteína para sobrar nitrogênio. Porém, se sobra nitrogênio em excesso, ele também acaba sendo depositado em forma de gordura. Por isso o consumo de proteínas, e não só de carboidratos, precisa ser o suficiente para o processo de hipertrofia. Caso contrário você aumenta sua massa muscular, mas também aumenta a gordura.

Tenha em mente que seu organismo entende que tudo que você oferece a ele em excesso é para ser armazenado, porém, este excesso não é necessariamente bom.

Comer a quantidade certa na hora errada
Temos um ditado que diz que devemos “tomar café da manhã como um rei, almoçar como um príncipe e jantar como um plebeu”. Só que se você treina à noite, esse ditado cai por terra.

Você precisa adequar a qualidade e a quantidade de alimentos por refeição de acordo com suas atividades diárias e o treinamento. Quem trabalha o dia todo sentado no escritório e treina à noite precisa de mais energia à noite, e não de manhã.

Já o sedentário que não pratica atividades físicas regulamente não tem refeição de rei. Ele tem de dividir igualmente o consumo calórico por refeição e se alimentar como um plebeu de cinco a seis vezes por dia.

Não comer antes do treino
Há outro ditado que diz que “saco vazio não para em pé”, muito menos corre ou faz musculação. O ideal é comer para se preparar para a atividade física. A refeição pré-treino precisa ter como objetivo oferecer energia que dê condições para a prática de exercícios.

Imagine uma mulher de 60kg com uma dieta de 1.500 calorias diárias, divididas em cinco refeições – uma média de 300 calorias por refeição. Se ela treina logo após uma dessas refeições, as 300 calorias que ela ingeriu não serão suficientes para manter o desempenho de um treino de uma hora de musculação ou corrida.

Pense que, ao treinar com intensidade, você aumenta seu gasto calórico. Se você não se alimenta direito antes do treino, não garante a energia necessária para ter um bom desempenho. Por isso, não dá para treinar sem comer.

As mulheres costumam errar ainda mais ao não ingerirem carboidrato. Porém, só há um tipo de pessoa que consegue viver sem carboidratos: o sedentário, pois o custo energético da sua vida é muito pequeno. Quem treina tem um custo energético grande e a fonte de energia imediata é o carboidrato.

Não comer depois do treino
Há pessoas que, após um treino intenso, seja de musculação, Zumba ou Step, comem um filé de frango com salada ou não comem, ou seja, não repõem suas energias. É errado pensar que deixar de comer logo depois é o ideal para perder peso ou ganhar massa magra.

Llogo após treinar, é importante comer carboidrato, pois quando praticamos alguma atividade física, 97% da energia gasta é carboidrato. Além disso, depois da prática da atividade, o corpo está preparado para absorver uma maior quantidade de nutrientes, por isso é tão importante se alimentar corretamente após o treino.

Moral da história: quem não come não emagrece e muito menos hipertrofia.

EQUIPE AMS ACADEMIA

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: